Super Mãe Ativar - Jornalismo e Entretenimento para a Maternidade -

Pós-parto: rede de apoio para o décimo mês

Por Juliana Fonseca Em 22.11.2016 Categoria: Saúde e bem estar
primeiro_mes-088

Primeiro grande amor da vida, minha Luiza, em casa, no primeiro mês, em 2005.

Dicas para as novas mães

Não importa se você já leu diversos livros sobre a chegada do bebê e as mudanças que um filho provoca nas nossas vidas. Não importa se sua gestação foi tranquila e se você nem aumentou tantos quilos assim. Quando você chegar ao décimo mês, ou seja, bem no período do pós-parto, vai sim precisar de uma rede de apoio.

E o que seria essa rede? Pessoas que lhe ajudem a passar por essa turbulenta fase, como o parceiro, a família e os amigos. Tudo bem que olhar para as necessidades de uma mulher que acabou de dar à luz nem sempre é uma missão muito fácil. De repente, todos à sua volta, inclusive você, só tem olhos para o novo integrante da família. Mas para que a mãe esteja bem o suficiente para cuidar do pequeno, é preciso também olhar pela sua saúde física e mental.

decimomesNo www.decimomes.com.br , encontrei dicas valiosas sobre esse apoio. O site é oferecido por Bepantol Baby e tem o objetivo de ajudar às novas mães a superar as dificuldades desse período da chegada do bebê. São artigos com reflexões e pesquisas sobre o pós-parto.

Listinha de dicas sugeridas por BEPANTOL para que a REDE DE APOIO colabore com o processo:

1 – Visitas: a notícia do nascimento de um bebê gera muita alegria e curiosidade. Amigos e familiares querem conhecer o recém-chegado e dar os parabéns aos papais. No entanto, devem-se lembrar de que, além de ser um momento muito especial para a família, a mãe pode estar um pouco debilitada e se adaptando à nova rotina com o recém-nascido. Ligar antes para se informar sobre visitas é muito importante, além disso, é recomendável não permanecer por muito tempo no local, seja na maternidade ou na casa.

2 – Descanso: é importante que o pai e familiares incentivem o descanso da mãe, mesmo que ela apenas se deite com o bebê. Ter esse momento de relaxamento pode ajudar o corpo a descansar.

3 – Na madrugada – Bebês recém-nascidos mamam de hora em hora, inclusive de madrugada. Essa é uma oportunidade para o pai participar, seja levando o bebê até a mãe para ser alimentado, colocando-o para arrotar ou trocando a fralda

4 – Tarefas domésticas: O período pós-parto é a fase em que a mulher tem de se dedicar exclusivamente ao bebê, que necessita muito de seus cuidados de mãe. Por isso, o pai e toda a rede de apoio, como familiares e amigos, podem ficar responsáveis pelas tarefas domésticas, como cozinhar, lavar roupa, arrumar a casa, fazer compras, entre outras tarefas.

5 – Alimentação: É importante que a mãe que acabou de dar à luz se alimente bem e tenha uma dieta balanceada, sempre ingerindo muito água, principalmente para aquelas que estão amamentando. Incentive!

6 – Respeite o espaço entre mãe e bebê: nos primeiros meses, mãe e bebê ainda estão conhecendo um ao outro, criando vínculo emocional, portanto, necessitam de tempo e espaço só para eles.

7 – Apoio emocional – Após o nascimento do bebê, a mulher experimenta diversos sentimentos ao mesmo tempo, como felicidade e tristeza, euforia e choro, entre outros. Mais conhecido como “baby blues”, é uma fase normal e comum em razão de todas as mudanças hormonais, e que é transitório. Companheiro, família e amigos podem ajudar oferecendo carinho e apoio. Ao menor sinal de que essas reações estão prolongadas, afetando a relação com o bebê e abalando seu emocional, deve-se procurar ajuda profissional para investigar uma possível depressão pós-parto.

10042009159

Eu e minha Lara, na maternidade (2009)

Importante!

Aqui fica mais uma DICA minha, após 11 anos como mãe: se a ajuda não chegar de forma espontânea, PEÇA! Não adianta achar que vai dar conta de tudo sozinha (sim, eu sei que somos SUPER MÃES, mas mesmo assim precisamos de apoio). Fale, sinalize, verbalize tudo aquilo que precisa e também aquilo que não é necessário. Eu acredito na informação, na comunicação e no diálogo como ferramentas que nos fazem desenvolver melhor nosso papel de mãe.

Tá passando por essa fase? Dá uma olhada no DÉCIMO MÊS e deixa aqui seu comentário que vou adorar saber!

Beijos,

Ju

Poderá também gostar de:

  1. Tatiane disse: em 22.11.2016

    Ju super importante a matéria e adorei seu último Conselho se a ajuda não vim sozinha busque, somos supers mas precisamos de ajuda em muitos momentos.

  2. Nathalia Sartori disse: em 22.11.2016

    Que matéria 10 Ju!! Toda mãe de primeira viagem ou gravidinhas deveriam ler. Sem contar no seu jeito de escrever, que eu adoro! Parabéns 😍👏🏻

Deixe um comentário